Mulheres Portuguesas procuram cada vez mais joalharia contemporânea;

Vanrycke Paris - 10 Anos de presença em Portugal com a joalharia Elements
Mulheres Portuguesas procuram cada vez mais joalharia contemporânea
Lise Vanrycke, de origem portuguesa, tem orgulho em fabricar as joias da respetiva marca em Portugal 

Filha de portugueses, Lise Vanrycke, criadora da marca Vanrycke Paris, escolheu o norte de Portugal para a manufatura das joias que desenha. De estilo minimalista e pensadas para o dia-a-dia, são vendidas em todos os continentes do mundo. Em conversa com o Vida Económica, identifica uma tendência de mercado, a saber: as mulheres portuguesas procuram cada vez mais uma joalharia contemporânea que se usa como uma “segunda pele”, não deixando de destacar o mérito da Elements Contemporary Jewellery enquanto joalharia percussora na aposta deste tipo de joias, em Portugal.  

Lise Vanrycke, designer de joias da marca Vanrycke Paris (2000), de passagem por Lisboa, para desvendar a nova coleção Primavera/Verão 2019, numa altura em que comemora 10 anos de presença no mercado português, fala do perfil da mulher portuguesa enquanto apreciadora de joias e afirma que “as joias contemporâneas dão mais vontade de usar à mulher portuguesa porque as joias Vanrycke são como uma segunda pele, são para viver no dia-a-dia e não para guardar”. E explica: “tenho joias da minha avó, com outro volume, que guardo porque tenho receio de as perder, enquanto com Vanrycke quase nos esquecemos que estamos a usá-las, sentimo-nos bem à noite ou durante o dia, é só mudar os sapatos”.

Lise Vanrycke é filha de portugueses, casada com um holandês de quem adotou o apelido. Fala português e faz questão de afirmar as suas origens. Diz ter “orgulho em fabricar joias em Portugal e na Europa”. Todas joias da marca são em ouro 18 quilates e feitas no norte de Portugal, excetuando a pulseira Styloïde (€17.900) que é feita na Suíça devido à malha, cuja manufatura exige o saber fazer da relojoaria e neste caso fazia sentido recorrer ao “berço da relojoaria” a nível mundial.

Em Portugal Vanrycke é vendida em exclusivo nas joalharias Elements Contemporary Jewellery de Lisboa e do Porto. “A Elements Contemporary Jewellry foi percussora em trazer este tipo de joalharia contemporânea para o mercado e isso confere-nos a ambos uma legitimidade junto do público porque já estamos há alguns no mercado”, afirma Lise Van Rycke, em entrevista ao Vida Económica. “Portugal está bem classificado entre os nossos mercados sobretudo graças à capacidade que a Elements tem de explicar as joias às pessoas”, acentua.

Vanrycke está presente em todos os países europeus, mas também nos Estados Unidos, Dubai, Abu Dabi, Japão, Singapura, Rússia, sendo a França o mercado mais forte, local onde está sediada a marca, dividindo-se a quota de mercado, em termos de vendas, entre 50% na França e 50% nos restantes países.

As joias Vanrycke têm um primeiro preço de €120, para o monobrinco em ouro rosa 18 quilates Calamity Jane, por exemplo. As joias mais vendidas em Portugal estão entre os €120 e os €1000. Há joias em ouro com diamantes a partir dos €350. “Tenho uma base de joias, que podem parecer clássicas, que são os nossos básicos, mas a que gosto sempre de dar um pequeno twist e de usar para fazer uma acumulação como, por exemplo, com os anéis Bonnie and Clyde, para demonstrar uma atitude de que gosto, ou com o Coachella, um brinco para usar sem ser em par, mas dou muita atenção ao conforto e à facilidade de usar as joias.”

Os homens não o foco, são as mulheres, sem nenhuma idade precisa. “Tenho joias que podem ser usadas por homens como é o caso da pulseira Massaï (€1290), mas faço mais joias para a mulher”, diz Lise Vanrycke.

Dora Troncão, 13/06/2019
Partilhar
Comentários 0

Notícias Relacionadas